“O século XX foi a “era dos plásticos”, embora atualmente também se usem muitas outras espécies de materiais, desde as fibras de origem animal e vegetal, metais, materiais cerâmicos até aos mais recentes materiais semicondutores como o silício, usado na eletrónica, os plásticos detêm um lugar de destaque: a quantidade de plásticos é enorme e crescente e, pela sua enorme versatilidade, desempenham um papel importante na nossa vida, quer tenhamos ou não consciência desse facto.”

 

 “Em muitos casos, os plásticos substituíram a madeira, a rocha, a cerâmica, o vidro, o couro, as fibras naturais e os metais nos seus usos tradicionais; as propriedades que apresentam torna-os vantajosos face àqueles materiais: são pouco densos, resistentes, duráveis e, em geral, fáceis de fabricar e de transportar. Mas a sua principal vantagem é a capacidade de poderem ser quimicamente “desenhados” para responderem a necessidades funcionais muito específicas dos consumidores.” 

“A engenharia dos plásticos trabalha para produzir cada vez mais com menos material, para criar novos artefactos que venham resolver problemas e melhorar a qualidade de vida, como é o caso das próteses, antes inconcebíveis no domínio da cirurgia, materiais para comunicações, cada vez mais abrangentes e céleres, materiais para construção e transportes de todos os tipos, incluindo os espaciais ou ainda na pesquisa de plásticos condutores da corrente elétrica à semelhança dos metais e dos semicondutores… Deste modo, os plásticos tornam a vida, em certos aspetos, mais segura, mais fácil na execução de certas tarefas e de melhor qualidade.” 

“Os plásticos incluem-se numa família de materiais mais ampla, os polímeros, constituídos por moléculas gigantes ou macromoléculas, algumas das quais existem na natureza: a celulose que depois de transformada produz o polímero artificial rayon, a borracha extraída do látex natural que foi “copiada” para produzir a borracha sintética… Os químicos aprenderam a interpretar a natureza e estenderam depois esse conhecimento para conseguir novas sínteses.” 

“A indústria dos polímeros é considerada um dos maiores alicerces da economia global, tal é a variedade e extensão das aplicações dos materiais poliméricos: das embalagens aos contentores, da indústria alimentar à dos cosméticos e, mais recentemente, a área dos biomateriais. Será difícil de imaginar uma atividade humana que dispense a utilização de polímeros.” 

“Em Portugal, existe produção de polímeros (em particular de polietileno e de politereftalato de etileno (PET), de poliuretanos e de policloreto de vinilo), em indústrias de grande, média e pequena dimensão que se estendem por todo o país. De destacar o facto de Portugal ser também um dos principais fabricantes europeus de moldes para a produção de polímeros termoplásticos.”

Programa de Química 12ºano

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s